A etiqueta de produtos químicos é fundamental para garantir a segurança de usuários e trabalhadores que manipulam esse tipo de material. Isso porque elas identificam e trazem informações importantes como data de fabricação, de validade, lote e cuidados necessários para o uso. Por conta disso, precisam ser bastante resistentes, permanecendo na embalagem da mercadoria por todo o seu ciclo de vida.

Mas como garantir a durabilidade desse item? A seguir, veja alguns dos fatores que garantem a resistência das etiquetas de produtos químicos.

Confira os materiais mais indicados

Hoje em dia, já existem etiquetas desenvolvidas para durar por 10 anos ou mais. Elas são feitas em materiais autoadesivos que, além do poder de adesão, têm grande resistência à umidade, óleos, solventes e intempéries do meio ambiente.

Um dos insumos mais utilizados é o poliéster, que tem grande estabilidade dimensional e uma ótima printabilidade. O polietileno e o polietileno tereftalato são outras opções bastante comuns na confecção de etiquetas de produtos químicos.

Saiba qual a melhor impressão para etiqueta de produtos químicos

Além de um material resistente e duradouro, também é preciso garantir que as etiquetas tenham uma impressão de qualidade. Como as informações desses rótulos mostram quais cuidados os trabalhadores e usuários têm que tomar ao manusear os produtos, elas precisam ser bem legíveis.

Isso significa que a impressão deve ser bastante definida e precisa, tornando a leitura possível em qualquer ambiente. Uma das alternativas mais usadas para isso é a impressão por transferência térmica por fita ribbon.

Também conhecido como TTR ― sigla para Thermal Transfer Ribbon, que significa Fita de Transferência Térmica em português ―, o ribbon conta com uma película plástica de duas faces. Enquanto uma delas contém tinta, a outra é revestida por silicone. Isso evita o contato da impressão com a base e, como consequência, aumenta a durabilidade do material.

Saiba mais sobre o ribbon e suas aplicações.

Conheça as normas e certificações necessárias

Por sua grande importância, as etiquetas de produtos químicos são reguladas  por normas e padrões de segurança, que garantem a sua resistência e durabilidade.

Um exemplo é a norma GHS ― Globally Harmonized System of Classification and Labeling of Chemicals, traduzido como Sistema Globalmente Harmonizado de Classificação e Rotulagem de Produtos Químicos. Adotada pelo Brasil recentemente, a diretriz define os danos que substâncias e misturas podem trazer à saúde humana e ao meio ambiente. Assim, facilita a comunicação de informações sobre possíveis perigos nas embalagens.

Existem, no entanto, certificações que ajudam a reconhecer etiquetas duráveis e resistentes. A UL não é exigida no Brasil, mas funciona como um excelente parâmetro para identificar materiais de qualidade. Isso porque realiza vários testes para garantir a integridade dos componentes, simulando a sua exposição a temperaturas de -20 ºC a 150 ºC e à ação de solventes e de intempéries.

Agora que você já sabe quais os principais fatores que garantem a resistência de uma etiqueta de produtos químicos, quer ter acesso a mais dicas e informações? Aproveite para navegar em nosso blog e conhecer os tipos mais procurados de etiquetas de composição!