Que as reproduções por transferência térmica são surpreendentes, você já sabe. Entretanto existem alguns pontos de atenção que, se passarem despercebidos, podem prejudicar o resultado. Neste artigo, falaremos sobre a dificuldade de manter o nível/padrão de impressão, uma velha conhecida de quem trabalha com isso diariamente. Continue a leitura e saiba como resolvê-la.

Entenda o que pode causar dificuldade de manter o nível/padrão de impressão

Má definição nas margens das etiquetas, manchas na imagem ou falta de leitura são obstáculos que podem surgir durante a marcação por termotransferência. A dificuldade de manter o nível/padrão de impressão é considerada uma dessas adversidades. Infelizmente, pode ocorrer com frequência se o operador não souber quais são os motivos que levam ao defeito.

A maioria dos fatores que precedem esse problema estão relacionados ao ajuste dos ribbons. Veja quais são as razões comuns para isso acontecer e saiba como prosseguir:

  • ribbon com pouca transferência: pode ser necessário aumentar o nível de energia e/ou utilizar ribbons com maior sensibilidade;
  • barras muito espessas: a correção deve ser na diminuição do nível de energia;
  • ribbon com muita transferência: neste caso, reduzir o nível de energia é o ideal a se fazer.

Assim que perceber a dificuldade de manter o nível/padrão de impressão, é preciso seguir as orientações acima. Elas irão regular os componentes e melhorar a eficiência da produção.

Veja como a escolha do ribbon e da base é importante para manter a qualidade da impressão

Além dos imprevistos que acabamos de listar, existe outra condição que influencia os resultados: a escolha adequada da base e do ribbon. Ambos estão disponíveis em diversos tipos para atender necessidades variadas. Vamos apresentar alguns exemplos de aplicações para que as imperfeições sejam evitadas ao combiná-los ou fazer a troca de ribbon.

  • Ribbon de cera: apropriado para bases porosas, como papel. É bastante utilizado para códigos de barras e etiquetas de preços, proporcionando agilidade na produção, bem como maior contraste. Em contrapartida, a sua durabilidade é menor, isso significa que, quando exposto a temperaturas extremas, tende a não resistir.
  • Ribbon de resina: muito mais resistente que o ribbon de cera, ele entrega um efeito prolongado mesmo sob efeito de materiais químicos. A variação de temperatura também não afeta a impressão. Sua aplicação pode ser feita em plástico, poliéster ou polietileno. Indica-se o uso em locais onde não pode haver perda de informações, como nas etiquetas laboratoriais.
  • Ribbon misto: como o nome já diz, ele agrega atributos da cera e da resina, entregando um meio termo. É resistente ao calor e umidade, mas não a substâncias químicas e altas ou baixas temperaturas.

Agora que você já conhece qual é o melhor tipo de ribbon para cada base, fica fácil selecioná-los. Os erros se tornam menos comuns e mais simples de resolver.

Saiba quando é preciso buscar por suporte técnico

Sempre que houver questionamentos quanto aos produtos utilizados, é imprescindível ter o auxílio de um técnico. Complicações como a dificuldade de manter o nível/padrão da impressão ou outras intercorrências podem ser facilmente solucionadas por meio de ajustes triviais.

Se ainda assim identificar falhas, saiba que é possível contar com assistência remotamente. Nesse caso, o atendimento acontece por telefone ou plataformas de vídeo e um especialista conduz sobre as melhores práticas para reparar o inconveniente.

Ao escolher um fornecedor de ribbons, avalie a disponibilidade de suporte. No dia a dia, contar com um parceiro comprometido com os efeitos das suas impressões é essencial. A ARMOR-IIMAK possui todas as características para atendê-lo da melhor forma. Com uma história sólida e reconhecimento mundial, conquistamos excelência em nossas entregas.

Continue acompanhando nosso blog para tirar dúvidas, conhecer os lançamentos e acompanhar as atualizações do mercado de ribbons!