A base e o ribbon são uma dupla que precisa funcionar em sintonia na hora da impressão por termotransferência. Isso acontece porque a seleção errada de um dos dois resulta em falta de qualidade ou gasto desnecessário de dinheiro e produto. Esse é o tema do artigo de hoje. Então, fique por dentro das melhores escolhas de acordo com os objetivos estabelecidos!

Saiba o que são as bases e por que elas são importantes na impressão por termotransferência

Base é um dos nomes dados para a etiqueta. Assim, ela pode ser de papel, filme e tecido e RFID, por exemplo. A escolha dependerá do uso e da necessidade de conservação das informações contidas nela. E para fazer a impressão por termotransferência nessas bases, são utilizados os ribbons.

ribbon, também chamado de TTR (Thermal Transfer ribbon) é a Fita de Transferência Térmica, em português. É uma fita que contém tinta de um lado e tipo um silicone do outro (conhecido como backcoat). Quando aquecido, o produto libera a tinta na base para que a impressão aconteça. Por isso, bases e ribbons precisam ser escolhidos com cautela, já que a combinação errada pode causar falhas.

Tipos de base

Como foi dito, existem vários tipos de base utilizadas na impressão por termotransferência. Continue a leitura e conheça alguns deles!

Papel

A base de papel é porosa e com um ótimo custo-benefício. Contudo, é um material com pouca durabilidade. Para ilustrar, é só pensar no que acontece com papel quando ele é molhado. Muda de consistência, despedaça, perde informações. Por isso, é utilizado quando os rótulos não serão submetidos a esse tipo de ação ou não precisam ser conservados por muito tempo. Para melhor aproveitamento e desempenho da impressão por transferência térmica, deve-se optar pelos papéis transtérmicos que possuem uma superfície mais lisa para melhor receber a impressão dos ribbons.

Tecido

As bases de tecido são usadas para etiquetas de composição de produtos da indústria têxtil. As de poliéster, em razão da resistência, são adequadas para lavagens industriais ou em ocasiões em que a peça será submetida a processos abrasivos. Já as de cetim, com um toque aveludado, são empregadas em artigos delicados, como roupas íntimas.

Filmes

Existem vários tipos de bases plásticas, como o BOPP (Polipropileno Biorientado), vinil e poliéster. Elas possuem bastante resistência quando expostas ao calor, frio e atrito. Por isso, são usadas em rótulos que passarão por esses processos.

Veja a importância do ribbon adequado para a base escolhida

Como foi dito, base e ribbon trabalham juntos. Assim como existem materiais diferentes de etiquetas, os suportes para a tinta também variam para atender a necessidades específicas. Os de cera são ótimos para impressão em bases de papel, mas têm pouca resistência à água, produtos químicos e temperaturas extremas.

Outra opção é o de resina, que proporciona bastante qualidade para as reproduções, além de ser resistente nos momentos em que a cera não é. É indicado apenas para impressão em bases de filmes. Por isso, é importante equilibrar a qualidade da base e do ribbon para chegar ao resultado desejado.

Por exemplo: as etiquetas hospitalares devem ter bastante durabilidade, tanto na base quanto nas informações. Logo, é importante que sejam usados produtos resistentes. Já as TAGs de papel têm um ciclo de vida curto. Então, é indicado que se utilize aqueles mais acessíveis e com durabilidade condizente.

É possível utilizar o ribbon de resina nesse caso? Não é apropriado, já que a base não é a ideal e a resina não se adaptaria.

Existe um produto intermediário, com características da cera e da resina e que também pode ser utilizado na impressão em bases tanto de papel como de filme. É o chamado ribbon misto. Quer saber mais sobre ele? Leia o nosso artigo!